sábado, 23 de abril de 2011

Educação publica de ensino

A educação publica de ensino de Salvador, ainda é de dar muita pena, não só pela falta de qualificação dos seus professores e pelo conteúdo de baixo nível repassado para seus alunos comparados á alunos de uma escola particular; Porém o que faz a escola publica perder seus pontos são os estudantes que ali participam do dia-a-dia do ambiente, alunos que deveriam estar lutando para a melhora de seu espaço e de seu ensino, porém eles fazem o inverso, destroem as cadeiras, aquelas que eles mesmos se sentam, atrapalham a explicação de seu professor (que já é precária) destroem os banheiros, torneiras, bebedouros, nem as plantas escapam desta irresponsabilidade, violência e vandalismo. O que os inocentes podem fazer? Nada! Pois eles não possuem defesa contra estes "alunos de má índole".
Vazamento em uma das salas do Colégio Bolívar Santana.
Portanto, a culpa da precariedade das escolas publica, não é culpa somente dos governantes e, sim, dos "estudantes", diretores e coordenadores, que ali vivem, fazendo com que pessoas que não são culpadas de nada, se tornarem omissas as situações de vandalismo, de corrupção e de uma má fiscalização destes órgãos e de seus coordenadores. - "Precisamos mudar isto", diz Rita de Cassia, professora de filosofia do colégio Bolívar Santana, situado no C.A.B.; Ela complementa "Não são os gritos dos malvados, nem dos valentões e sim os gritos que me deixam louca, são os gritos dos inocentes".