sábado, 21 de março de 2015

A cultura do Supérfluo


Será que a maneira como os homens estão consumindo estão destruindo o planeta e seus recursos naturais? O modelo consumista aumenta a cada dia, muitas coisas  que são supérfluas estão tornando-se necessárias em nosso psicológico portanto, neste ritmo terminaremos com um planeta cheio de problemas seja em recursos naturais, na convivência, no econômico e etc.
“Tem muita gente pobre e muita pouca gente rica”, é a frase principal do livro. A autora parte da perspectiva do consumismo, como o mesmo se apresenta para sociedade, manipulando o psicológico para haver mais consumo sem necessidade. De acordo com a autora a publicidade manipula a sociedade e a indústria constrói produtos para se tornarem descartáveis.

O mundo é o que você consome e a autora faz menção a isso em todos os capítulos, sempre partido da perspectiva de exaustão dos recursos.

Porque o planeta está tendo essas variações climáticas? Qual o grande problema da sociedade contemporânea? Porque cada vez mais consumimos, cada vez mais produzimos e retiramos isso da natureza. Pólita mostra que não somente consumimos muito mas, que consumimos mau, que deveríamos consumir de uma maneira mais consciente com o meio ambiente e com a sociedade – pois o social também é consumir com responsabilidade sendo sustentável.

Existem várias formas de consumir, de descartar, de reciclar e reutilizar onde a autora demonstra diversas formas e conceitos de ações simples de ser sustentável, exemplo: como uma leitura no rótulo para saber qual a procedência, se viajou muito até seu supermercado. Dessa maneira a autora vai discorrendo seu livro de onde as coisas são produzidas, o que a indústria “sequestrou” da natureza para produzi-la, quantos litros de água foram gastos para produção de determinado produto, essa empresa utiliza mãos de obra infantis ou escrava? Todos esses questionamentos trazidos no livro e mais um pouco trazem reflexões, explicando ações a favor da natureza e da sociedade, consumir e reciclar pensando no desenvolvimento social, na construção de uma vida melhor para todos.
Apresentando em todos os capítulos parênteses com indicações de filmes, livros, artigos, notícias, atitudes e significados sobre o tema abordado, a autora transforma o livro no desenvolvimento intelectual e nas atitudes, transformando de um mero leitor a um (possível) agente transformador, ensinando através de

pequenas medidas a transformar sua casa, comunidade, cidade e contribuir para mudar o mundo, pois as medidas individuais interferem nas coletivas.