quinta-feira, 19 de março de 2015

Comunicação Pública

Fichamento do Artigo:

Autora: Heloiza Matos
MATOS, Heloiza. Comunicação Pública - Democracia e cidadania: o caso do Legislativo. CRP-ECA/USP - Artigo 

Anderson Lois
UNIFACS - Universidade Salvador




1. O que realmente significa Comunicação pública? Essa vertente da comunicação entre a Sociedade-Estado e/ou Estado-Sociedade traz uma pluralidade de conceituações. A comunicaçao governamental pode-se valer de técnicas em seu discurso para legitimar suas ações, por exemplo o período da ditadura militar.

2."Comunicação política podemos chamar de um processo [...] para influenciar e controlar as percepções do tema político". (pag 2)

3. A comunicação pode se alterar de acordo com a época (tempo) ou momento de oportunidade ou crise onde: "o discurso é reciclado de acordo com as circustâncias, de acordo com as questões candentes do momento".

4. A comunicação pública apresenta variações na sua epistemologia porém, todas levam ao sentido de participação popular, de interação, troca de opiniões, discursões, onde os meios de comunicação são primordiais para informatização e convocação da população junto ao Estado para conquista de direitos sociais.

5. O grande problema contemporâneo fica caracterizado pelo sensacionalismo dos meios de comunciação que deturpam as informações, vendendo-as para a sociedade de maneira publicizada caracterizando prejuízos na informação, na prestação de contas do Estado para sociedade, trazendo consequências na participação da população na vida pública.

6." A mídia brasileira [...] parece exercer um lobby pela velocidade dos trabalhos parlamentares [...] pela urgência de 'reformas' que precisam ser aprovadas". (pag 7) 

7. O sensasionalismo midiático, a deturpação de informações visando venda e midiatização geram ruídos de comunicação porém, os três poderes, dando ênfase ao legislativo, não possuem um canal de mídia aberto para a população (no Brasil), abrindo portas para informação direta Estado-Sociedade, convocando seus cidadões para debates sobre as necessidades da nação, onde o acesso a estes canais é disponibilizado pelo canal fechado (pago) onde grande parte da população não possui acesso (e aqueles que possuem, não estão educados e alfabetizados para decodificação das informações apresentadas).

8. " O incremento [...] da consciência política e do debate público tem uma importância vital para a idependência do legisltivo e para o bem-estar democrático". (pag 9)

9.A legitimação de conflito de interesses e, debatendo junto ao Estado, caracterizando a participação social na administração pública, levando a definição de Estado democrático. A necessidade de surgir grupos de pressão (sindicatos, orgãos não-governamentais, grupos sociasi, etc.) vem da necessidade da população de pressionar o Estado e participar da vida pública porém, a democracia não é vivenciada somente deste método de cobrança e participação.

10. Comunicar, convocar e debater são atitudes básicas para exercer a cidadania, informação direta do Estado para sociedade não caracteriza comunicação pública e sim, comunicação social. O sensasionalismo e a midiatização de notícias necessárias para formação e particapação da sociedade junto ao Estado são prejudicadas pelo interesse e privatização dos meios de comunicação.