segunda-feira, 21 de março de 2011

Nascidos em Bordéis


O Documentário “Nascidos em Bordéis” inicialmente traz a fotógrafa Zana Briski que constrói um projeto focado nas casas de prostituição do bairro da Luz Vermelha de Calcutá, na Índia. Porém, percebi que no mesmo ambiente encontravam-se os filhos das prostitutas, que vivenciavam paralelamente a situação precária de suas mães e familiares. Zana a partir desta percepção muda o foco de sua pesquisa e resolve ver a situação de outra maneira, através das crianças, deixando em suas mãos câmeras fotográficas, para que retratem com outro olhar aquela realidade tão obscura. Aparentemente após a entrega das câmeras as crianças, encontraram a possibilidade de ter esperança e sonhar.
 As fotografias eram tiradas de maneira amadora e dentre o grupos alguns se destacavam na arte da fotografia, considerados “artistas” pela maneira exótica de retratar. Porém, nas residências era a mesma realidade seus sonhos eram suprimidos, a escuridão e a dor tomavam novamente conta da vida de maus-tratos e escravidão gerada pelos próprios pais. Como exemplo, uma das protagonistas de forma “hereditária” é obrigada a ser prostituta quando alcança a idade ideal.
Zana audaciosa decide ter mudar a forma de vida das crianças luta pelo direito de ir a escola e ter documentos, e é impedida pela burocracia indiana e pelos pais que não compreendem a importância da evolução intelectual de seus filhos.  Mesmo com as eventuais dificuldades a fotógrafa não desiste e leva o projeto em frente. As fotos das crianças são reconhecidas por toda Índia após ser matéria de jornal local. As fotos repercutem na sociedade, mas não foi certeza de dias melhores, já que os próprios pais não possuíam uma boa educação.
 Os nascidos em bordeis são a representação de uma sociedade que independente da forma de adquirir, o que importa é o retorno. Talvez por isso, gere uma necessidade de superação e não apenas a realização de sonhos, pois sonhos podem ser retirados e o documentário é prova disso.