sexta-feira, 5 de junho de 2015

Os 50 pensadores que formaram o mundo moderno

Stephen Trombley - Editora LeYa
Ler sobre um filosofo já é realmente difícil, imagine ler sobre a história de 50 pensadores em um único livro? Stephen Trombley faz uma seleção de 50 pensadores que formaram a epistemologia do mundo moderno, apresentando as principais ideias e suas perspectivas principais. 
Sinopse: Com uma síntese bem elaborada sobre filósofos, sociólogos, como: Michel Foucault, Freud,  Dariwin, Einstein, entre outros. O autor consegue explicar cada momento para cada filósofo, onde em alguns momentos haverá a necessidade de retornar algumas páginas para poder compreender melhor o link de um filósofo com o outro, como quando o autor fala de Hannah Arendt. 
Esse livro se torna perfeito para quem quer conhecer o básico de cada filósofo importante e logo após concentrar os estudos em pensadores selecionados ou é para quem está cursando o ensino médio e quer ter um conhecimento mais exacerbado. 
Apresar de ter uma linguagem fácil, para melhor compreensão de alguns pensadores o leitor para deve possuir algum conhecimento do mesmo e de alguns termos.
O autor faz uma coisa que eu gostei bastante, onde ele inicia cada capítulo com uma frase que define a epistemologia de cada pensador ou a definição de seus conceitos e personalidade. Para quem não entende muito de filosofia, o livro precisa ser estudado e relido algumas vezes. A organização do livro é de se reconhecer, onde o autor faz um breve resumo da contribuição do pensador/cientista para o mundo e no final ele apresenta a/as principais citações do mesmo e uma opinião externa sobre sua contribuição para o mundo. Trabalhando assuntos como fascismo, socialismo, capitalismo, entre outros. Citando as partes mais importantes do livro, dá para ter uma prévia da ótima organização do livro, confira abaixo:
Kant torna sua ética duradoura, com seu Imperativo Categórico onde diz que "eu preciso agir de modo que a ação que escolho deveria se tornar uma lei universal, capaz de ser aplicada a qualquer pessoa que se encontrasse em circunstâncias similares" - Kant fala contra uma ética consequencialista, como utilitarismo. A ética utilitária defende que o percurso correto da ação é aquele que dá maior quantidade de bem-estar para um maior número de pessoas.

"Após a segunda-guerra mundial, os americanos e soviéticos foram a Alemanha selecionar os melhores filósofos e cientistas".


"John Sturat Mill trabalha com um sistema do utilitarismo do método empírico em situações políticas, econômicas e sociais - Mill estabeleceu que os indivíduos deveriam ser livres para agir como quisessem, com a condição de não causar mal aos outros." - " Do mesmo modo que é útil a humanidade ser imperfeita, e que, por tanto haja diferentes opiniões, é útil que haja diferenças experiências de vida..."


Darwin criou a teoria da evolução e Wilson cunhou o termo sociobiologia -" a extensão da biologia populacional e da teoria da evolução à organização social"


Soren Kierkegard afirma que "a verdade deveria ser encontrada na experiência subjetiva do mundo, e não compreendida puramente por métodos objetivos".


Marx afirma que "não é a consciência dos homens que determina seu ser, mas, pelo contrário, seu ser social que determina sua consciência".


Freud se destacou com seus fundamentos da personalidade e desenvolveu o método da psicanálise. - 


"No que diz respeito a questões sociais, nós ainda temos a mentalidade de primatas". - Essas são as palavras de Émile Durkheim e desenvolveu a sociologia como disciplina acadêmica.


"A liberdade depende de um eleitorado bem-informado que assuma com seriedade suas responsabilidades como eleitores e cidadãos. " - John Dewey, um pragmático americano que defendeu a reforma prática da educação.


"Orgulho é obstrução da intersubjetividade e reciprocidade é o alcance para a intersubjetividade com o outro" - Gabriel Marcel, um existencialista cristão.


Segundo Karl Popper o erro de Marx e de outros filósofos historicistas é que, não se deve fazer da filosofia uma ciência exata, pois o homem não é exato e que pode ser previstas.


Hannah Arendt identifica três ações humanas: "Labor, trabalho e ação. Onde labor é a produção de materiais de consumo necessários para sobrevivência humana - Estado de escravidão. Trabalho como algo distinto do labor,  produz coisas duráveis estabelecendo um mundo unicamente humano. Ação é onde o ser humano encontra sua liberdade."


A. J . Ayer afirma que a metafísica é sem sentido, incluindo qualquer discussão sobre deus - Um casa pequeno, ousado, que enfrentou Tyson.


Roland Barthes - Considerava a morte do autor e considerava o texto um mundo a ser interpretado. Tomando como base Ferdinand de Saussure, expondo o valor do texto e decodificando-o.


Jacques Derrida identifica que as prosas linguísticas são mutáveis e erguidas por aqueles que detém o poder, como objetivo de excluir os demais. Ideologia desconstrucionalista. 


Julia Kristeva, pensadora que sintetizou o marxismo, fenomenologia, estruturalismo e psicanálise. Voltada para pessoas marginalizadas, minorias. Pensadora intertextualizada e frequente utilizadora das teorias da semiótica. 

O autor traz muito mais informações sobre 50 pensadores. 
Linguagem: Melhor que a maioria dos livros de filosofia e sociologia, o autor utiliza uma linguagem bem popular, onde em certos momentos vai haver a necessidade de fazer uma pesquisa na Internet e voltar uma ou duas páginas e reler o texto para melhor apreensão. 
Capa: Me chamou bastante atenção a capa quando comprei. Achei Bem legal a distribuição das fotos dos principais pensadores logo na capa, para quem conhece é emocionante mas para quem não conhece, o livro torna-se desconhecido, sobrando somente o título como informativo. 
Acho que para o leitor fixar melhor e fazer alusão à capa, o autor deveria colocar uma foto parecida com a capa no início de cada capítulo sobre o pensador. Para o leitor não precisar ir para a internet pesquisar todos os 50 pensadores e procurar sua foto.

Portanto, vale bastante a pena ler esse livro de Stephen, onde a editora Leya (que sempre capricha nos livros) tornou-o confortável na leitura com as páginas e uma diagramação espaçada. O livro não possui todas as informações sobre os 50 pensadores, porém já da uma curiosidade.