terça-feira, 28 de julho de 2015

Resenha: O menino sem imaginação

Editora: Editora Ática
Aut@r: Carlos Eduardo Novaes
Capa: Bastante infantil, sem muitos detalhes, concentrando toda atenção no título. Poderia ser muito melhor.
Narrativa: Leve, fácil e envolvente.
Essas são as três principais características da escrita de Carlos, que por ser um livro infantil não oferece muitas dificuldades porém, nada muito infantilizado, proporcionando a qualquer público uma boa leitura.
Visão: Quem depois de velho não gosta de ler um bom livro infantil? Eu mesmo adoro e hoje trago para vocês um livro que super gostei, onde recomendo.
Esse livro de Carlos Eduardo Novais, O menino sem imaginação, traz toda uma crítica de uma sociedade alienada em forma de história infantil. Para quem já leu sobre teoria crítica, indústria cultural, entre outras tantas teorias da comunicação, quando terminar de ler este livro vai compreender que o autor, traz de maneira excepcional a maneira como no Brasil, há uma necessidade inigualável da televisão. A televisão é mais importante que um livro e, para algumas pessoas, mais importante que outras pessoas. 
Dividido em 19 capítulos, Carlos traz a história de um menino e sua família, onde todos são viciados em televisão, menos sua irmã e, de maneira mais crítica, seu avô. No desenrolar da história, o Brasil passa por uma pane na transmissão dos programas televisivos, deixando todos na “mão”. O Tavinho, personagem principal da trama, é um menino que não consegue ter imaginação - agora tenta imaginar não ter imaginação, consegue? Ou uma pessoa sem televisão, que não consegue ter imaginação? – Difícil né? Pois é, nesta perspectiva, o autor te prende em uma leitura bastante confortável, trazendo para um outro universo. Quando problematizamos como a sociedade brasileira é dependente de televisão e que não é condicionada a ler, temos uma “sociedade problema”. Dentro destas perspectivas, essa história faz você rir e pensar bastante sobre como devemos utilizar os meios de comunicação moderadamente e, abusar bastante da leitura. 
Eu recomendo essa história maravilhosa, que não vou procurar falar mais, só vocês lendo.